Catequese com os Pais

Atualizado: 15 de Jul de 2019

1.3 - ENTREVISTAS E/OU VISITAS

Embora seja uma tarefa morosa e delicada, é oportuno marcar uma entrevista e/ou visita com os pais dos catequizandos, mesmo dos adolescentes, para as primeiras semanas de trabalho. Estas entrevistas e/ou visitas, que na catequese de adolescentes podem contar com a participação dos próprios (caso os pais apoiem a sua catequese, o que nem sempre acontece), destinam-se a estabelecer uma relação directa e positiva entre catequistas e pais


Há diversos modos de marcar entrevistas e/ou visitas com os pais, mas, mais importante que o meio a usar, é ter em consideração que: se marca com antecedência e no horário combinado previamente; da marcação deve constar o motivo da entrevista e/ou visita. Mesmo que o motivo seja um problema de comportamento, este não deve ser mencionado: usa-se um pretexto simpático mas mais vago, como “analisar a situação, progressos, interesse do seu filho/educando”, “conversar sobre”.


A entrevista deve realizar-se pontualmente, num lugar adequado, agradável e recolhido, não sujeito a interrupções. Nunca deve ter lugar num corredor ou no meio da rua. Convém começar por apresentar os aspectos positivos e deixar para o fim, mas sem pressas, os mais difíceis de abordar, procurando sempre não acusar os catequizandos nem as famílias, mas antes obter a sua colaboração e boa vontade. Um bom (catequista) entrevistador sabe ouvir, toma notas da entrevista, não impõe uma teoria ou uma ideia, mas trabalha com a maior disponibilidade para resolver as situações e corresponder às necessidades do entrevistado e daquele que motivou a entrevista.

REUNIÕES DE PAIS


As reuniões de pais, que podem ter um carácter informativo e/ou formativo, também devem ser marcadas para horários acessíveis ao seu público e com a devida antecedência. O número e circunstância dos convidados determinarão a forma de comunicar, mas o conteúdo da comunicação deve ser claro, elegante e atraente, cuidando-se igualmente da apresentação: o objectivo é conseguir uma boa participação. A quantidade e qualidade da participação dos pais varia com a organização geral da reunião (horários, acessibilidades, local adequado e confortável, espaço para conviver), com o interesse dos temas e a qualidade dos animadores.


A principal forma de atrair os pais às reuniões é proporcionar-lhes uma experiência gratificante e nunca desistir só porque as primeiras tentativas tiveram pouca adesão. A melhor publicidade destes eventos é a directa, solicitando-se por isso aos pais presentes que avaliem a reunião e que, de futuro, tragam outros pais com eles.


Algumas reuniões poderão ser obrigatórias, como seja um encontro de informação ou sensibilização que anteceda as inscrições ou prévio a uma celebração determinada. Estas reuniões, embora preenchidas com muitas informações importantes, devem proporcionar outros elementos: conhecimento dos catequistas e equipa responsável (com indicações precisas sobre como obter futuros contactos), tema formativo, genérico, relevante e interessante (os temas relativos ao desenvolvimento psicológico e à identidade e missão da catequese) e um período de convívio entre todos (pode ser um intervalo), em que se oferece um café ou um pequeno lanche bem apresentado, que ajuda a descontrair e a criar laços.


Um espaço de partilha de opiniões deve ser orientado por um catequista experiente e bom comunicador, capaz de lidar com os discursos despropositados e as críticas mais negativas. Finalmente, como se estará numa paróquia ou reunidos em seu nome, a reunião deve ter um breve momento de oração, que pode ser animado pelos catequizandos mais velhos, sem descurar a beleza e emoção que pode proporcionar (usando música, projecção de imagens ou outros meios de comunicação).


De um modo geral, os pais interessam-se pelas actividades desenvolvidas pelos filhos e por isso um momento agradável das reuniões pode mostrar os filhos em acção: um pequeno registo vídeo, fotografias projectadas, slides com uma exposição de trabalhos, cumprem com o objectivo de ajudar os pais a entender a catequese dos filhos, podendo ser explorados como meio de lhes sugerir actividades a realizar em casa. As imagens devem ter boa qualidade, mostrar um conjunto variado de materiais e não deixar nenhuma criança ou adolescente de fora. Mais tarde, podem ser usadas para produzir postais ou calendários que sejam postos à venda para fins benéficos ou enriquecer uma página de internet.


Secretariado Nacional da Educação Cristã- Diocese do Porto/Portugal.

Este texto apresenta grafia de Portugal.





0 visualização

©2008-2019 - Portal de Catequese Catequista Bruno Velasco.  Powered by Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now