21º Domingo do Tempo Comum, Ano C com Crianças

O Monge e o Ateu

Um dia, um morador de rua, se aproximou de duas pessoas e indagou:

- Será que um de vocês poderia me ajudar, pelo amor de Deus?


O Ateu respondeu, prontamente, com rispidez:

- Se Deus existisse, não estarias passando pelo o que passas...


Ao ouvir, o Monge se aproximou de ambos, estendeu a mão e disse:

- Eis aqui um Servo do Senhor, em que posso ajudá-lo?


O Ateu, ao ver a demonstração retrucou:

- O senhor só está fazendo isso porque sabes que tenho razão...


Ao terminar, o Monge disse:

- A única razão que existe por si só é o motivo pelo qual nascemos no plano de Deus.


E continuou:

- o Senhor Nosso Deus nos permitiu este momento para crescermos. Em vez de criticarmos atitudes, porque não corrigimos nossas posturas e ajudamos o nosso próximo?


- Deus permitiu que este homem estivesse entre nós, e em vez de o senhor tentar mostrar que podes ajudar, preferiu contestar a existência de Deus. Pois bem, este mesmo Deus me permitiu ser melhor no momento em que resolvi ajudar a quem precisava e assim deixar meu egoísmo de lado...


O Ateu, ao se dar conta do que estava acontecendo, disse:

- Nunca pensei em Deus deste jeito, Ele permite caminhos difíceis para que consigamos enxergá-lo. Mas geralmente, preferimos olhar com os olhos descrentes.


Narrador:

- Deus aperfeiçoa a criação ao dar obstáculos à mesma. Assim, exercitando a fé, a misericórdia e a compaixão obtém-se a Salvação pela Porta Estreita. Quando olha-se com coração duro, percebemos apenas a beleza do mundo (Porta Larga), nos deslumbramos e esquecemos de amar ao nosso próximo como a nós mesmos. Lembrem-se, o homem foi feito imagem e semelhança de Deus. Quando a alguém ajudamos, é aos ensinamentos de Cristo que estamos seguindo.



Catequista Bruno Velasco

0 visualização

©2008-2019 - Portal de Catequese Catequista Bruno Velasco.  Powered by Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now